ladrão de imagem

by bruno

É assim: acelera, freia, pula, puxa, se pendura ela quebra, enfia na mochila, salta na moto, partiu- é parkour com motocross, nem me viu, não ficou nem um frame pra o gosto do segurança de qualquer jeito deve estar dormindo, o segurança mesmo é uma máquina, um rolo de fita infinita, sempre gravando e sempre apagando, apagando e gravando, esquecendo e lembrando, ou não tem mais fita, o HD é quem lembra, deve estar numa sala lá dentro no ar condicionado, dorme e acorda a cada frame

o vento zune no capacete, os sinais ficam pra trás, o bafo quente vira refresco, ninguém atrás ninguém na frente, a câmera na mochila já não vigia, eu é que tô de olho nela pra não cair no asfalto

paro para uma cerveja, cigarro, para não resistir a uma olhada na caça antes de chegar na casa- a decepção- já tinha essa sony- vai pra caixa da revenda, não pra sala de troféus, vai garantir a cerveja, mas não a moral- prezo a coleção, tenho das vintage analógicas às últimas digitais

pras que eu tenho repetida o mercado é certo, instalo e dou manutenção no morro mesmo, tenho minha ética- não boto elas pra vigiar favelado- só trabalho com o movimento e tá bom, não quero ficar rico, desde quando preto vira rico aqui- eu vim aqui pela zoação- mas já perdendo a graça, não tem câmera que eu não tenha roubado já

saio atrás de uma chinesa que vi num galpão da zona norte, parece um modelo novo, gazela negra – vou junto com os irmãozinhos da pichação, eles deixam um tag e eu tiro outro, o pé desliza, a mão segura o ar, o cotovelo bate, seguro n a câmera e que me segura fica grudada pelos fios, suficiente para apontar pra minha cara, eu pendurado

me toquei que tava olhando pra alguém. tenho que soltar. o chão tá longe, mas não tanto. Me toquei que alguém tá olhando pra mim. Sou eu lá no monitor, sou eu preto e branco preto. Já não sou invísivel. Tenho que soltar. Aqui tá bom. Quem será que tá lá. Pra onde vai esse meu vídeo. Tenho que soltar, tô dando mole.

Que isso vai ficar que nem otário me agarram rolo no chão com meu broder me arrasta pra fora montamos partimos olha lá os caras saindo atrás da gente otários não podem sair de lá o ronco aumenta os carros passam velozes pra trás sou sagaz no videogame já fui nem viu

mas fiquei